58 anos sem o craque Popó

ApolinarioSantanaApolinário Santana, mais conhecido como Popó (Salvador, 9 de fevereiro de 1902 – 17 de fevereiro de 19551 ) foi um dos maiores jogadores de futebol do Brasil.

Popó iniciou sua carreira aos 14 anos de idade, jogando em todas as posições (até no gol). Tornou-se tão popular, que ganhou a alcunha de “o craque do povo”, devido a sua popularidade entre os baianos. Também ganhou outro apelido: “O Terrível”. Foi o maior craque do esporte baiano nas décadas de 1920 e 19302 .

Foi bicampeão estadual jogando pelo E.C.Ypiranga. Mas a principal façanha do maior supercraque baiano foi tornar-se o líder do revolucionário time do Ypiranga, o primeiro a vencer o racismo que marcou o início do futebol no país. O Vasco da Gama e outros clubes seguiram o exemplo dos baianos.

Craque da época amadora do futebol, terminou a carreira pobre e em situação de extrema penúria. Um dos poucos momentos de reconhecimento oficial ao craque se deu apenas em 2002. O troféu de campeão baiano da Federação Baiana de Futebol, entregue naquele ano ao Vitória, foi denominado Apolinário Santana.

Os feitos de Popó foram eternizados de uma vez por todas nas páginas do livro “Bahia de Todos os Santos” de um dos mais ilustres torcedores do Ypiranga, Jorge Amado.

“No futebol baiano não há nenhum clube de tão gloriosa tradição quanto o Ypiranga, o time de Popó (…)”, cita ele, num dos trechos do livro.

Em 1999, o escritor Aloildo Gomes Pires lança o livro “Popó, o craque do povo – Trajetória de Apolinário Santana” que conta a história do futebolista.

Popó, para sempre na memória aurinegra!

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

E.C.Ypiranga completa 107 anos

ApolinarioSantana“Outros clubes do futebol baiano podem ser mais ricos, mais prósperos, mais badalados pela imprensa, donos até de maior torcida e de maior número de títulos recentes. Nenhum de gloriosa tradição quanto o E.C. Clube Ypiranga, o time de Popó, antigamente poderoso, milionário, invencível, supercampeão… O Ypiranga pode perder a vontade por que já ganhou demais, já deu muita alegria aos seus fiéis torcedores. Se o visitante tiver de escolher um clube de futebol, escolha o Ypiranga…”

Jorge Amado

Um pouco da História do E.C. Ypiranga

No início do Século XX, jovens excluídos sociais trabalhadores de ofícios e de ganhos impedidos por fatores étnicos, sociais e econômicos, cotizaram-se e fundam o Sport Club Sete de Setembro, em 17 de abril de 1904, que é extinto em 7 de Setembro de 1906 para dar lugar ao Sport Club Ypiranga atualmente Esporte Clube Ypiranga. 

O nome do novo time é escolhido de forma emblemática, fruto do momento conjuntural de construção da identidade nacional. 

O Esporte Clube Ypiranga é a síntese da união dos pobres da cidade, que querem se integrar construindo um tempo novo, rompendo com privilégios das elites arraigadas pelo escravismo do antigo regime imperial. 

O Ypiranga não é o time que apenas permitia que negros e pobres figurassem no seu elenco, de maneira oportunista e utilitária. Ele foi fundado e dirigido por esses segmentos, seus torcedores eram os excluídos sociais e quem se identificava com esses.

O E.C.Ypiranga foi fundado em 7 de Setembro de 1906, sendo um dos mais antigos clubes do futebol da Bahia. É o terceiro clube com mais títulos baianos (10), depois do Bahia e do Vitória. Atualmente, a equipe profissional disputa a 2ª Divisão do Campeonato Baiano de Futebol.

Títulos Campeonato Baiano de Futebol: 1917, 1918, 1920, 1921, 1925, 1928, 1929, 1932, 1939,1951

Vice-Campeonatos: 1915, 1924, 1926, 1927, 1931, 1933, 1937, 1938, 1942, 1949

Campeonato Baiano da Segunda Divisão: 1983 e 1990 (invicto)

Vice-Campeonato: 1989

Campeonato Baiano de Futebol Masters 1º Campeão: 2003

Esporte Clube Ypiranga

Local: Salvador, BA

Apelido: “O mais querido”.

Fundação: 7 de Setembro de 1906

Estádio: Estádio Deputado Galdino Leite.

Capacidade: 4.000 pessoas

Presidente: Antonio Filho

Endereço: Av. Ypiranga, s/n – Vila Canária, Salvador (BA), CEP 41390-710

Símbolos: O uniforme do clube compõe-se de camisa com listras verticais amarelas e pretas, calção e meias pretas. O mascote é um canário.

Fatos que nos enchem de orgulho

Na Bahia, o Ypiranga era caso exemplar de democracia racial
Mas as coisas não mudaram de vez. Para jogar em clubes como o Bahiano de Tênis e a Associação Atlética era preciso passar por um crivo. “Preto não entrava no Bahiano nem pela porta da cozinha”, lembra a música de Gilberto Gil. Seguia-se um fenômeno nacional. Alguns clubes no Rio e em São Paulo preferiram fechar as portas a aceitar negros nos seus plantéis. No Rio de Janeiro o primeiro a aceitar negros foi o Vasco da Gama. Na Bahia o E.C.Ypiranga que ontem (7) fez 107 anos.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

Mais de nossa história

ApolinarioSantanaVocê poderá acompanhar mais de nossa história acessando nosso antigo blog.

Clique aqui: http://ec.ypiranga.zip.net

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

E.C.Ypiranga nasceu no dia 7 de setembro de 1906. Viverá para sempre!

“Mais Querido”

“Outros clubes do futebol baiano podem ser mais ricos, mais prósperos, mais badalados pela imprensa, donos até de maior torcida e de maior número de títulos recentes. Nenhum de gloriosa tradição quanto o E.C. Clube Ypiranga, o time de Popó, antigamente poderoso, milionário, invencível, supercampeão… O Ypiranga pode perder a vontade por que já ganhou demais, já deu muita alegria aos seus fiéis torcedores. Se o visitante tiver de escolher um clube de futebol, escolha o Ypiranga…”
Jorge Amado

Fatos que nos enchem de orgulho

Na Bahia, o Ypiranga era caso exemplar de democracia racial

…Mas as coisas não mudaram de vez. Para jogar em clubes como o Bahiano de Tênis e a Associação Atlética era preciso passar por um crivo. “Preto não entrava no Bahiano nem pela porta da cozinha”, lembra a música de Gilberto Gil. Seguia-se um fenômeno nacional. Alguns clubes no Rio e em São Paulo preferiram fechar as portas a aceitar negros nos seus plantéis. No Rio de Janeiro o primeiro a aceitar negros foi o Vasco da Gama. Na Bahia o E.C.Ypiranga que hoje comemora 103 anos.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

Craque afro

Apolinário Santana, mais conhecido por Popó, começou a jogar aos 14 anos e atuava em todas as posições. Até no gol. Mas a principal façanha do maior supercraque baiano foi tornar-se o líder do revolucionário time do Ypiranga, o primeiro a vencer o racismo que marcou o início do futebol no país. O Vasco, no Rio, e outros clubes seguiram o exemplo dos baianos.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

As grandes goleadas aplicadas pelo Ypiranga

A primeira grande goleada do campeonato baiano de futebol foi aplicada pelo Ypiranga sobre o Nacional, pelo placar de 10×1 no certame de 1920. Deu-se ainda no prado do Rio Vermelho, na véspera da inauguração oficial do estádio da Graça. Mas foi nesse estádio que teve lugar a fase histórica das grandes goleadas, cujo sinal precursor foi o escore de 9×0 que o Fluminense aplicou no Itapagipe, no primeiro domingo após a inauguração festiva do estádio (15.11.20) e que marcou a despedida do alvinegro peninsular.

O período histórico das goleadas maiúsculas se estende de 1927 a 1938, quando foram registrados dez resultados onde o clube vencedor fez dez ou mais gols, e que podem ser assim distribuídos: a) cinco goleadas “normais” verificadas entre clubes grandes ou médios e um pequeno: Botafogo 12 x 0 Democrata (8.12.27), Ypiranga 13 x 1 Guarani (5.5.29), Ypiranga 16 x 0 Democrata (1.5.30), Fluminense 10 x 0 São Cristóvão (12.11.31 e Ypiranga 11 x 0 Guarani (19.6.32); b) duas goleadas entre clubes pequenos: Energia 11 x 1 Guarani (25.5.33) e São Cristovão 12 x 0 Guarani (4.6.33) Vê-se que o Guarani tomou 23 gols em apenas dois jogos consecutivos; c) três goleadas entre não pequenos: Vitória 11 x 0 Botafogo (16.12.34), Botafogo 11 x 1 Fluminense (25.10.36) e Bahia 10 x 2 Vitória (20.11.38). A partir daí começaram a escassear as goleadas maiúsculas. Cabe uma especial menção à maior delas, ou seja, o acachapante placar de 16 x 0 pelo Ypiranga ao Democrata, no certame de 1930, no Dia do Trabalho.

O primeiro tempo terminou em 9 x 0. O goleiro Zilô, do Democrata, tomado de profundo abatimento, não retornou para o segundo tempo, sendo substituído pelo meia Benzeno, ficando o democrata com dez jogadores. Temendo que outra crise psicológica se abatesse, agora sobre o goleiro substituto, o Ypiranga marcou apenas 7 gols na segunda etapa…Golearam: Lago (5), Oscar (4), Mila (3), Pelágio (2), Sandoval e Pópo. No Democrata, o mais atuante foi o centroavante Grilo, com 17 saídas na marca central.

Aloildo Pires

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

Histórias do Campeonato Baiano

Criado em 1905, o Campeonato Baiano foi exclusivo a equipes de Salvador por 49 anos. Logicamente, havia um grande número de clubes da cidade e muitos desses tiveram seus momentos de glória. Conquistaram títulos e, por algum momento, foram colocados entre os grandes de Salvador. Hoje, estão quase esquecidos.

Desses, o que mais se destacou foi o Ypiranga. O nome original, Sete de Setembro, já deixa clara a data de fundação do clube: 7 de setembro de 1906. O nome atual só foi adotado em 1914, quando o clube efetivamente iniciou suas participações no Campeonato Baiano. Nos primeiros anos, o aurinegro ficou à margem de clubes já extintos como São Salvador, Internacional e Fluminense de Salvador. Apenas em 1917 veio o primeiro título. Mas vale dizer que foi categórico. Em um campeonato com seis times disputando o título em pontos corridos, o Ypiranga venceu oito e empatou apenas dois (contra Fluminense de Salvador e Internacional). No ano seguinte, a superioridade da equipe ficou ainda mais evidente, com oito vitórias em igual número de jogos.

Após uma queda de rendimento em 1919, o clube conquistou mais um bicampeonato, com 21 vitórias, um empate e uma derrota nos dois anos somados. Ainda na década de 1920, os canários conquistariam mais três títulos, em 1925 e um bi 1928-29. Sempre invicto.

Ypiranga era o clube de maior torcida de Salvador na primeira metade do século passado, a ponto de receber o apelido de “o mais querido”.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY