Arquivo do mês: agosto 2013

Mais de nossa história

ApolinarioSantanaVocê poderá acompanhar mais de nossa história acessando nosso antigo blog.

Clique aqui: http://ec.ypiranga.zip.net

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

E.C.Ypiranga nasceu no dia 7 de setembro de 1906. Viverá para sempre!

“Mais Querido”

“Outros clubes do futebol baiano podem ser mais ricos, mais prósperos, mais badalados pela imprensa, donos até de maior torcida e de maior número de títulos recentes. Nenhum de gloriosa tradição quanto o E.C. Clube Ypiranga, o time de Popó, antigamente poderoso, milionário, invencível, supercampeão… O Ypiranga pode perder a vontade por que já ganhou demais, já deu muita alegria aos seus fiéis torcedores. Se o visitante tiver de escolher um clube de futebol, escolha o Ypiranga…”
Jorge Amado

Fatos que nos enchem de orgulho

Na Bahia, o Ypiranga era caso exemplar de democracia racial

…Mas as coisas não mudaram de vez. Para jogar em clubes como o Bahiano de Tênis e a Associação Atlética era preciso passar por um crivo. “Preto não entrava no Bahiano nem pela porta da cozinha”, lembra a música de Gilberto Gil. Seguia-se um fenômeno nacional. Alguns clubes no Rio e em São Paulo preferiram fechar as portas a aceitar negros nos seus plantéis. No Rio de Janeiro o primeiro a aceitar negros foi o Vasco da Gama. Na Bahia o E.C.Ypiranga que hoje comemora 103 anos.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

Craque afro

Apolinário Santana, mais conhecido por Popó, começou a jogar aos 14 anos e atuava em todas as posições. Até no gol. Mas a principal façanha do maior supercraque baiano foi tornar-se o líder do revolucionário time do Ypiranga, o primeiro a vencer o racismo que marcou o início do futebol no país. O Vasco, no Rio, e outros clubes seguiram o exemplo dos baianos.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

As grandes goleadas aplicadas pelo Ypiranga

A primeira grande goleada do campeonato baiano de futebol foi aplicada pelo Ypiranga sobre o Nacional, pelo placar de 10×1 no certame de 1920. Deu-se ainda no prado do Rio Vermelho, na véspera da inauguração oficial do estádio da Graça. Mas foi nesse estádio que teve lugar a fase histórica das grandes goleadas, cujo sinal precursor foi o escore de 9×0 que o Fluminense aplicou no Itapagipe, no primeiro domingo após a inauguração festiva do estádio (15.11.20) e que marcou a despedida do alvinegro peninsular.

O período histórico das goleadas maiúsculas se estende de 1927 a 1938, quando foram registrados dez resultados onde o clube vencedor fez dez ou mais gols, e que podem ser assim distribuídos: a) cinco goleadas “normais” verificadas entre clubes grandes ou médios e um pequeno: Botafogo 12 x 0 Democrata (8.12.27), Ypiranga 13 x 1 Guarani (5.5.29), Ypiranga 16 x 0 Democrata (1.5.30), Fluminense 10 x 0 São Cristóvão (12.11.31 e Ypiranga 11 x 0 Guarani (19.6.32); b) duas goleadas entre clubes pequenos: Energia 11 x 1 Guarani (25.5.33) e São Cristovão 12 x 0 Guarani (4.6.33) Vê-se que o Guarani tomou 23 gols em apenas dois jogos consecutivos; c) três goleadas entre não pequenos: Vitória 11 x 0 Botafogo (16.12.34), Botafogo 11 x 1 Fluminense (25.10.36) e Bahia 10 x 2 Vitória (20.11.38). A partir daí começaram a escassear as goleadas maiúsculas. Cabe uma especial menção à maior delas, ou seja, o acachapante placar de 16 x 0 pelo Ypiranga ao Democrata, no certame de 1930, no Dia do Trabalho.

O primeiro tempo terminou em 9 x 0. O goleiro Zilô, do Democrata, tomado de profundo abatimento, não retornou para o segundo tempo, sendo substituído pelo meia Benzeno, ficando o democrata com dez jogadores. Temendo que outra crise psicológica se abatesse, agora sobre o goleiro substituto, o Ypiranga marcou apenas 7 gols na segunda etapa…Golearam: Lago (5), Oscar (4), Mila (3), Pelágio (2), Sandoval e Pópo. No Democrata, o mais atuante foi o centroavante Grilo, com 17 saídas na marca central.

Aloildo Pires

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

Histórias do Campeonato Baiano

Criado em 1905, o Campeonato Baiano foi exclusivo a equipes de Salvador por 49 anos. Logicamente, havia um grande número de clubes da cidade e muitos desses tiveram seus momentos de glória. Conquistaram títulos e, por algum momento, foram colocados entre os grandes de Salvador. Hoje, estão quase esquecidos.

Desses, o que mais se destacou foi o Ypiranga. O nome original, Sete de Setembro, já deixa clara a data de fundação do clube: 7 de setembro de 1906. O nome atual só foi adotado em 1914, quando o clube efetivamente iniciou suas participações no Campeonato Baiano. Nos primeiros anos, o aurinegro ficou à margem de clubes já extintos como São Salvador, Internacional e Fluminense de Salvador. Apenas em 1917 veio o primeiro título. Mas vale dizer que foi categórico. Em um campeonato com seis times disputando o título em pontos corridos, o Ypiranga venceu oito e empatou apenas dois (contra Fluminense de Salvador e Internacional). No ano seguinte, a superioridade da equipe ficou ainda mais evidente, com oito vitórias em igual número de jogos.

Após uma queda de rendimento em 1919, o clube conquistou mais um bicampeonato, com 21 vitórias, um empate e uma derrota nos dois anos somados. Ainda na década de 1920, os canários conquistariam mais três títulos, em 1925 e um bi 1928-29. Sempre invicto.

Ypiranga era o clube de maior torcida de Salvador na primeira metade do século passado, a ponto de receber o apelido de “o mais querido”.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY

Hino do E.C.Ypiranga

“Outros clubes do futebol baiano podem ser mais ricos, mais prósperos, mais badalados pela imprensa, donos até de maior torcida e de maior número de títulos recentes. Nenhum de gloriosa tradição quanto o E.C. Clube Ypiranga, o time de Popó, antigamente poderoso, milionário, invencível, supercampeão… O Ypiranga pode perder a vontade por que já ganhou demais, já deu muita alegria aos seus fiéis torcedores. Se o visitante tiver de escolher um clube de futebol, escolha o Ypiranga…”

Jorge Amado

HINO DO ESPORTE CLUBE YPIRANGA

(VALTER QUEIRÓZ)

Meu amarelo e preto

meu time do peito

meu velho Ypiranga

o povo foi quem te criou, consagrou

time do nosso amor

a gente enfrenta chuva,

a gente enfrenta o sol

bandeira aurinegra honrando o futebol

é o povo reunido, cantando mais uma vez:

agora um, dois, três

vai pra frente mais um gol

eu só saio daqui com o Ypiranga vencedor

(repete)

O Hino Canário foi composto por um torcedor do Galícia para homenagear sua esposa que é Ypiranguense. Só na Bahia, com seu povo solidário e tolerante, acontece isso…

HINO CANÁRIO

(Milton Santarém/Walter Álvares)

Aurinegro equipe varonil

teu passado honroso de glórias

é o loiro da torcida viril

incentivo das grande vitórias

Ypiranga o time mais querido

esquadrão aguerrido e leal

é no campo da luta temido

pelo mais valoroso rival

(refrão)

avante Ypiranga popular

mas um tento, outro tento nós, queremos

para tua bandeira tremular

e todos nós com a vitória vibraremos.

Deixe um comentário

Arquivado em ATAY